Territórios Resilientes

Territórios resilientes na América Latina e no Caribe, considerando a resiliência como um aspecto fundamental para superar desastres naturais ou problemas sociais, tornando a ameaça uma oportunidade. A construção de territórios e comunidades resilientes leva a mudanças culturais, empoderamento de líderes, mulheres e minorias residentes na cidade, estimulando as relações de convivência, segurança e conservação de ecossistemas.

A resiliência impulsiona uma dinâmica regional que quebra o esquema centro-periferia, oferecendo oportunidades iguais ao território urbano e rural.

O desenvolvimento ocorre nos territórios, e é nesses espaços que os riscos, desastres e decisões que ocorrem em diferentes esferas e entidades de poder são concretizados, a nível regional, nacional, internacional e mundial. Portanto, qualquer política, estratégia ou projeto que afirma ser sustentável e resiliente deve considerar a dimensão local em sua implementação.

A gestão do desenvolvimento nos territórios e países não pode excluir no planejamento os riscos para as catástrofes, sejam elas causadas por ações humanas ou por fenômenos naturais.

As ciências naturais, as sociais e a cultura podem contribuir de diferentes níveis para gerar maiores qualidades de resiliência territorial e comunitária, contribuindo assim para a promoção de um desenvolvimento verdadeiramente sustentável. As particularidades locais merecem abordar a problemática com uma visão adaptada às realidades e ambientes locais da região, para o qual é necessário projetar instrumentos, que permitam implementar processos de planejamento estratégico participativo.