Universidades para o desenvolvimento

  • Financiamento do ensino superior.
  • Agendas de pesquisa e sistema de estímulo.
  • Indicadores de gestão do ensino superior.
  • Transferência universitária de conhecimento científico.
  • A Universidade – Potencial da empresa.
  • Treinamento em ciência.
  • Treinamento de pesquisadores.
  • Infraestruturas e dispositivos para o desenvolvimento científico.
  • A promoção da pesquisa universitária: orientação política e instrumentos de apoio
  • A avaliação acadêmica. Teorias, práticas e consequências
A universidade, uma instituição quase milenar, evoluiu ao longo do tempo, incorporando novas missões. Começou como um espaço para o ensino; vários séculos depois incorporaram como missão à investigação e, recentemente, reconheceu uma “terceira missão”: interagir de maneiras diferentes com a sociedade de transferir seus conhecimentos.
Em particular, a universidade latino-americana incorporou no início das funções a extensão da universidade, associada a setores comparativamente fracos. Avançar para um desenvolvimento humano, sustentável e inclusivo, um dos principais objetivos do nosso tempo, está enfrentando uma crescente desigualdade baseada no conhecimento, que, em particular, aborda casas de ensino médio.
As “universidades para o desenvolvimento” procuram reverter, incentivando muitos mais que estudam na universidade, promovendo que as agendas de pesquisa incorporem problemas invisíveis por não ter demanda do mercado, mas uma grande relevância social, e cooperando com os atores mais variados na busca de soluções para problemas coletivos.
As universidades para o desenvolvimento podem assim ser caracterizadas pelo seu compromisso integral com a democratização do conhecimento. O Fórum CILAC 2018 convida, então, a juntar essa nova universidade que pode dar respostas aos desafios da nova era.

Universidades para el desarrollo.

Universidades para el desarrollo
Rodrigo Arocena y Judith Sutz (UDELAR / UNESCO / CILAC, 2016)